07 agosto 2010

Cheio de vontade

Ainda sinto o cheiro do teu perfume no meu corpo e a delicadeza do teu toque. A saliva quente que escorre de tua língua encontra minha língua entregue, pronta para a sutileza de nosso ritmo. E na cama – cenário de nossa dança – nossos corpos contorcidos se encontram. E provo cada dobra do teu corpo enquanto cantas o canto em forma de sussurro, e eu amo. E amo nossas palavras lambuzadas de gemido profano e nossas declarações singelas de amor sacro. Amo cada pedaço da sua carne que é carne que alimenta a alma. E amo toda nossa variedade e toda nossa intensidade. E a forma como me olha implorando pela rigidez de minha carne...
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário