12 outubro 2010

Momentos distintos

Sente como se estivessem em momentos distintos da vida, não diria opostos, apenas distintos. Enquanto ele vive a reafirmação do que acredita ser o estilo de vida que sempre buscou, ela busca ainda o próprio caminho. E isso de alguma forma gera conflitos. Ele tende a perceber tudo com certa cautela, acha que nada é definitivo na vida. Ela, já um pouco mais jovem e com menos vivencia, ansiosa com o que a vida a reserva, quer que tudo seja muito bem definido e coerente e o chama de incoerente. O que o incomoda bastante, primeiro por achar que a incoerência não é, de certa forma, uma característica tão negativa assim do ser, segundo por morrer de medo de pessoas coerentes demais, como ela se proclama. Associa a coerência a intolerância. Enquanto que, as pessoas incoerentes estão sempre mudando de discurso e opinião exatamente por estarem livres de certas amarras. Resumindo, nessas horas ele apenas pensa que nunca prometeu coerência a ela e sim amor, afeto e cuidado. Por outro lado, ele a acha uma mimada. Uma burguesinha – não que não se considere um burguês – que não consegue perceber a peculiaridade do mundo a sua volta. Falta-lhe vivência, ele pensa. E pensa que talvez, quando de fato ela experimentar certas coisas, ele não estará mais ali. Mas logo esse pensamento voa pra longe, por acreditar numa ligação mística entre eles – e isso faz parte da sua incoerência também, se permiti acreditar no místico ao mesmo tempo que almeja a razão –, que ele chama de intuição, e diz que em algum momento o encontro se dará em sua plenitude. Mas não agora, mas não para já. O difícil é expressar isso pra ela de forma doce e delicada. Já a feriu muito com seus rompantes de aventureiro solitário. E ela costuma dizer que não merecia certas palavras e gestos dele. Sabe muito bem que a verdade quase sempre dói, principalmente quando dita por alguém que ama. Mas não é por isso que devemos anular o direito de dize-la. Ao mesmo tempo que ela cobra coerência e verdades, quando ele devolve esse pedido ela sempre o acusa de carrasco e insensível. Insensibilidade é de fato algo que ele não tem. E ouvir dela que ele é insensível só o faz pensar que não está preparada para embarcar numa aventura amorosa que ele sonhou para os dois e que em muitas ocasiões, pelo menos da boca pra fora, ela dizia compartilhar...
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. tá falando de mim???

    80% disso tudo sou eu! rsrsrs faltou dizer que o pior não são certas palavras que ferem... mas o silêncio dói muito mais!

    lindo.

    "se tiver que ser, será".
    acredito com mais tranquilidade hoje.


    bjs meus, querido.

    ResponderExcluir