18 agosto 2011

Pegue uma mochila

Pegue uma mochila e coloque somente o necessário. Seus cremes, o livro do Caio... E caia na estrada com as maiores certezas e incertezas do mundo. Estarei te esperando, exatamente no meio do caminho, como combinamos certa vez, e faremos todo o resto juntos. Dois gigantes enfrentando o trânsito. Trouxe esse girassol para nos da sorte. E pela manhã um Louva Deus pousou na varanda. Traga o livro da Clarice, as músicas do Beirut e uma vontade imensa. E uma fé absurda de que só é preciso sonhar e mais nada, nossas preces serão atendidas de imediato. Ando imaginando: Te olho nua na cama. Digo que te amo enquanto faço carinho pelas suas costas fazendo o caminho da coluna até chegar as dobrinhas da bunda. Subo tudo de novo, até a nuca. Você meio descabelada, meio com cara de sono, de olhos fechados e com um sorriso bobo no rosto vira e me diz: “eu também te amo, bobinho”. E me da um beijo. E brinca com meus cachos. E me amassa todo... Traga os discos dos Los Hermanos, prometo que tento gostar dessa vez. E vamos tentar conseguir o livro de fotos da Frida Kahlo. Aquela feiura enigmática que você tanto ama. Traga alguns dos seus pecados também. Não, traga todos e vamos desinventá-los. Ou reinventá-los transformando em virtude, nossa virtude! Ando com uma sacola cheia dos meus, espero que não se assuste. Traga o bem e o mal que existe dentro de você e aquele hidrante que me lembra flor do campo...
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Perfeito...cheiroso e envolvente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que delícia de texto e nessa viagem compartilhamos tudo mesmo...

    Beijo

    ResponderExcluir